E você? Como gere o seu Espaço Vital!

O conceito de Espaço Vital é central tratando-se de bons relacionamentos humanos e gestão de conflitos.
Grande parte dos princípios de boas maneiras podem ser consubstanciados nesta ideia.

???? Podemos definir espaço vital como o espaço pessoal de um indivíduo num meio social.
Para facilitar a compreensão identifiquemos algumas dimensões do espaço e os quatro contextos onde se inserem.

???? Há um contexto público, o contexto social, o contexto pessoal e o contexto íntimo.

Dentro da dimensão física, a distância íntima ocorre entre os
15 a 45cm (Proxémia, Edward Hall; “a distância de um braço”, DeRose)
A distância pessoal entre os 45cm e os 1,2 m. A distância social entre os 1,2 a 3,5 m e a distância pública acima dos 3,5m.

❓ Recorda-se da última vez que entrou em um elevador cheio de gente?
Para onde olhavam as pessoas?
Normalmente, para cima ou para baixo, evitando o contato ocular direto. Pois, se tal ocorrer por mais de alguns segundos, as pessoas entram automaticamente dentro do espaço íntimo da outra. É um instinto de preservação.

Tal como o fato de que se houver um banco de uma paragem de autocarro já ocupado por uma pessoa em uma das extremidades, tendemos a sentar-nos na extremidade oposta, preservando o espaço entre ambos.

Este respeito pelo espaço vital do outro é que permite a salutar convivência entre as pessoas.

Pessoas dos meios rurais tendem a tocar-se muito menos e a falar entre si a uma distância muito maior, já que nas cidades aprendemos a conviver sob a pressão das bolhas vitais dos outros.

A famosa frase do Professor DeRose: todas as pessoas são irritantes se ficar muito perto por tempo suficiente, retrata este conceito de forma provocadora.
Esta foi com muita probabilidade a principal razão da subida a pique dos divórcios durante a pandemia recente.

Há pessoas que nós amamos tanto que permitimos que elas entrem no nosso espaço íntimo muitas vezes e por períodos de tempo grandes, porém há um limite.

???? “Há uma distância e tempo ideais entre si e cada um dos outros seres humanos do planeta”.

Este distância não é apenas física, ela envolve os valores, atitudes e ações de cada um.
Existem características que temos muita dificuldade em suportar em quem partilha a nossa intimidade mas que talvez estejamos confortáveis dentro de uma interação meramente social.

???? A sabedoria está em colocar cada pessoa que existe na sociedade por onde você orbita, na distância ideal para si.

Para alguns, será melhor para ambos manterem-se no espaço público, para outros já poderão avançar e entrar no espaço social, outros para o espaço pessoal e uns pouco no espaço íntimo.

Sempre que pergunto a alguém qual a razão porque um grande amigo deixou de o ser, a reflexão leva-nos a concluir que esse amigo não validava os valores íntimos da pessoa.

Há atitudes, valores e ações para cada contexto. (Eduardo Saldanha)

No contexto público, é o que nós gostaríamos que todas as pessoas tivessem, sem as quais a vida em sociedade não faz sentido (para si, outras pessoas têm outros valores).

No contexto social, é o que nos faz querer estar socialmente com aquela pessoa ou não estar.

No pessoal é o que nos faria querer partilhar casa ou não. No íntímo, o que nos faria querer partilhar quarto e todas as intimidades, ou não.

Assim, posso ter um amigo que é muito amigo mas que não me é confortável entrar em intimidades pessoais.

????Grande parte dos erros nos relacionamentos afetivos está em colocar rapidamente uma pessoa nova no seu espaço intimo, apenas porque houve atração. Deveríamos primeiro validar a compatibilidade entre os valores dos vários níveis. Isso pode e deve ser feito observado os pormenores.

Sempre os pormenores, onde dizem que está Deus e o Diabo. ????

Observe que a capacidade para poder expressar plenamente o seu espaço vital é que contribui para uma forte auto-estima.

Um criança que não se possa vestir do jeito que quer, que não possa atuar da forma que deseja, é privada de expressar os seus valores….o que equivale àquele exercício que já tínhamos comentado nesta newsletter, o “não te estou a tocar” (enquanto colocamos a mão dentro do espaço íntimo do outro, porém sem o tocar fisicamente).

Este assunto é de grande importância, não só entendê-lo mas perceber mais os nossos valores nos vários níveis, para podermos fluir pelas múltiplas personalidades que se cruzam e cruzarão consigo, de forma elegante e bonita.

????O fato de darmos mais distância não significa que gostemos menos da pessoa. Esse costuma ser um viés na ponderação deste assunto.

Pode ocorrer que o ideal seja colocar um familiar em um contexto mais social e menos pessoal. Muitas vezes, por serem família de sangue, esses elementos estão quase que automaticamente no espaço pessoal da pessoas, apesar de não terem compatibilidade para tanto.

Por isso a maior parte dos grande conflitos ocorre dentro das famílias.

Até para a semana.

Comentários
Please enable JavaScript in your browser to complete this form.
Gostaria de receber contacto para aulas: